Meu review honesto sobre house-sitting

Meu review honesto sobre house-sitting

Quando entrei nessa vida de nômade digital, uma das opções de hospedagem que muitos recomendavam e falavam sobre, era fazer house-sitting. Li diversos posts que indicavam, falavam como se fosse fácil conseguir, mostravam fotos de casas lindas e paisagens com muito Photoshop!

Acima tem uma foto mais realista, onde podemos ver coisas boas (3 cães 😍) mas também outras ruins (ladeira enlameada num lugar bem frio).

O que é house-sitting?

Pra quem não conhece, explicarei de forma breve: house-sitter é o nome dado a pessoas que cuidam da casa/ apartamento/ fazenda de outra pessoa enquanto ela não está lá.

Geralmente isso ocorre quando alguém tem animais de estimação mas quer viajar por um período longo. Ao invés de deixar o cachorro em um canil (que não é muito legal para o cão), ou em um hotel para cachorro (que sairia muito caro), eles chamam um house-sitter para cuidar da casa e dos animais enquanto estão fora.

Quais os benefícios para o sitter?

Variam caso a caso mas vou listar os mais comuns:

  • economizar na hospedagem. Você fica morando de graça na casa da pessoa, sem pagar conta alguma.
  • poder conhecer um lugar novo e viver como um local neste lugar.
  • poder viver com animais que você adora.

A realidade

Primeiramente, não é fácil conseguir uma oportunidade. Hoje em dia, cada anúncio de alguém procurando um house-sitter no TrustedHouseSitters (o site que usamos), tem pelo menos 1 dúzia de pessoas aplicando. A concorrência é grande!

E no final das contas, não sai barato. Se você mora no RJ e faz house-sitting na sua cidade, aí definitivamente não sai caro. Porém, você também não tem os benefícios de conhecer um lugar diferente, perde o conforto da sua casa e ainda terá que pagar seu condomínio e suas contas!

Para quem é nômade, fazer house-sitting muitas vezes não é uma economia. Meses atrás, quando estava em Bangkok, um casal do interior do Reino Unido nos convidou (debs e eu) para fazermos house-sitting pra eles. Como amamos cães, nunca havíamos ido para o Reino Unido e nem morado no interior, aceitamos!

Economizamos 1 mês de aluguel morando lá mas gastamos muito mais com:

  • passagens aéreas intercontinentais (ida e volta)
  • Uber do aeroporto até a cidade do interior (ida e volta)
  • toda e qualquer coisa pagando em libras!

Ter continuado morando pela Ásia teria saído bem mais barato.

Outro ponto negativo é que a grande maioria dos anúncios tem pouquíssimas fotos das casas e sua localização nem sempre é ideal, não tem coworkings por perto. Para nós, que trabalhamos remotamente, acabamos tendo que ficar um bom tempo trabalhando sem conforto.

Mas então não vale a pena?

No nosso caso, sabemos desses pontos negativos todos, mas ainda assim, as vezes decidimos tentar a sorte. É uma excelente forma de sair da zona de conforto, experimentar coisas únicas e conhecer lugares que você nunca visitaria de outra forma.

Se viéssemos para a Inglaterra, iríamos a Londres. Não Birmingham ou Tewkesbury, onde até a funcionária da imigração ficou surpresa quando dissemos que fomos a lazer 😂

Porém, foi graças a essa oportunidade de house-sitting que fizemos várias coisas legais, aprendemos um monte de coisas, tivemos experiências únicas, e conhecemos esses 2 amores!

Comentar

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *