Não basta trabalhar o tempo todo, tem que saber priorizar no que vai trabalhar

Não basta trabalhar o tempo todo, tem que saber priorizar no que vai trabalhar

Eu demorei bastante pra aprender e, acredite, foi uma lição dura de ser aprendida! Mas hoje percebi que não basta que eu a tenha aprendido, todos que são meus sócios em algum projeto também tem que aprende-la. Ou meus esforços serão em vão 🤷‍♂️

Importante: usarei neste post muitos exemplos do meio de startups, mas esse aprendizado pode ser aplicado em qualquer tipo de projeto. Na sua vida freelancer, na sua banda de Metalcore, ou no seu side project.

Quando trabalhei o tempo todo na minha startup mas não foi o suficiente

Há mais de 10 anos, quando estava tentando fazer minha startup dar certo, eu trabalhava diariamente nela. A noite, depois de trabalhar o dia inteiro pra outras pessoas, e nos finais-de-semana também.

Investi nela boa parte do pouco dinheiro que tinha e cheguei até a receber um investimento anjo, que me permitiu trabalhar full-time no projeto por vários meses. Até que, depois de uns anos, finalmente engoli meu orgulho, aceitei que o projeto não estava caminhando na direção de gerar receita e fechei a empresa.

Por que não deu certo? Os sócios não eram tecnicamente bons o suficiente? Modéstia a parte, não acho que tenha sido o caso 😉

O motivo ficou claro pra mim: eu sempre trabalhei no que me era mais confortável, não no que a empresa mais precisava.

Eu trabalhei centenas (milhares?) de horas nesse projeto, não foi falta de dedicação. Foi não trabalhar no lado comercial, arrumar um jeito da empresa gerar receita, o que permitiria então que toda a equipe pudesse continuar trabalhando nela.

E é por isso que hoje em dia eu tenho esse lembrete diário no meu Google Calendar:

Vendo outros empreendedores priorizarem o que não era importante

Durante anos eu trabalhei desenvolvendo software e prestando consultoria pra dezenas de startups brasileiras.

Eu vi em primeira mão as pessoas priorizarem funcionalidades que eram firulas e métricas de vaidade por meses! Até que o dinheiro deles acabava, eles não tinham mais como nos pagar para continuar desenvolvendo o produto, e o projeto morria 🤷‍♂️

Mas por que alguns projetos davam certo e outros não? Os que davam certo sabiam priorizar implacavelmente no que trabalharíamos.

O que uma startup mais precisa quando está começando? Dinheiro! Sem dinheiro para pagar os funcionários e as contas, a empresa vai a falência.

Então quais tarefas devem ser priorizadas? A resposta se torna óbvia: as que forem diretamente atreladas ao aumento da receita ou obtenção de clientes! Todo o resto é supérfluo até que a startup esteja financeiramente estável.

Priorize tudo, sempre

Todos que trabalham em uma empresa tem um tempo finito para se dedicar ao trabalho. O freelancer pode ser 3h por dia, o funcionário normal 8h por dia e o sócio 11h. Não importa se são poucas ou muitas horas, o que importa é as utilizar da melhor maneira possível!

Na minha startup eu fiquei o tempo todo preocupado em desenvolver novas funcionalidades, no final, minha rede social tinha certas funcionalidades que nem o Facebook tinha! Mas de que adiantou se meses depois ela teve que sair do ar por não gerar receita? De nada!

Temos que focar no que realmente importa o tempo todo!

Faça esse exercício comigo

Vamos usar uma pessoa da área de marketing como exemplo agora, Zuleika será seu nome e ela é a responsável por todo o marketing da recém-criada startup “Appzão”.

Zuleika poderia:

  • ficar diariamente criando conteúdo para postar em redes sociais pras centenas de seguidores que Appzão tem em cada rede social.
  • criar um blog pra empresa, escrever posts e depois divulga-los.
  • criar um canal no youtube, gravar/editar vídeos e depois divulga-los.
  • criar um podcast, gravar/editar os episódios e depois divulga-los.
  • investir em anúncios pagos.
  • entrar em contato com blogueiros e influencers pra tentar conseguir divulgação pro Appzão.

Qual dessas estratégias Zuleika deve seguir?

Pare por uns segundos e tente você mesmo responder.

A resposta correta

Ela não existe.

Não temos como saber qual vai ser o resultado de cada ação. De repente ao falar com um influencer, ele ame a proposta do Appzão e consiga 1 milhão de usuários pra empresa gratuitamente. Ou, talvez, o primeiro vídeo do canal viralize, o instagram bombe…

No entanto, o que você deve fazer é sempre comparar as possibilidades para conseguir priorizar o que tem maior potencial de retorno!

Um exemplo real: como decidi em qual projeto devo trabalhar

Usei uma técnica bem simples para me ajudar a decidir em qual das minhas ideias de projetos eu deveria focar esforços:

  1. criei uma planilha no google docs.
  2. nas linhas coloquei cada ideia de projeto que iria comparar.
  3. elenquei fatores que usaria para comparar as ideias e os listei nas colunas.
  4. dei uma nota de 1 a 5 para cada fator em cada ideia.
  5. somei as notas e ordenei as ideias pelo total.

Fica fácil entender que meu tempo será melhor investido trabalhando no Installments e no Hype Train! Por mais que eu ame a ideia do “A vida do meu Beholder…”, fica claro que ainda não é o momento de tocar ela.

Essa mesma técnica poderia ser aplicada pela Zuleika. As linhas seriam preenchidas com as ideias de ações de marketing e as colunas seriam fatores como “tempo de dedicação”, “potencial de renda gerada”, “possível quantidade de usuários adquiridos”, “quanto tempo levaria pra dar retorno?”, etc.

Sua vez

Não seja preguiçoso, perceba como o seu tempo é valioso, e amanhã invista um pouquinho de tempo para priorizar suas tarefas. Não entre na onda de busy work, priorize adequadamente e você poderá até conseguir trabalhar menos, caso queira.

6 Comentários

Responder Cayo Medeiros Cancelar a resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *