Otimização prematura, você provavelmente comete esse erro

Otimização prematura, você provavelmente comete esse erro

Esse é um termo que vem da área de programação mas acredito que esse aprendizado possa ser aplicado em diversas áreas.

Vou exemplifica-lo em 3 diferentes áreas para que você o entenda bem o suficiente para evita-lo na sua área e na sua vida pessoal.

Em TI

Quando o programador quer melhorar a performance do código de 3 diferentes formas antes mesmo de usuários reais começarem a usa-lo. Porque, talvez, algum dia, o site pode ter um pico de acessos e vai parar de funcionar porque a performance talvez não esteja excelente.

Isso é um exemplo de otimização prematura. Passar tempo demais otimizando as coisas erradas ou nos momentos errados.

Em design

Sabe quando o único designer do time quer passar 1 semana inteira otimizando a UX de uma nova feature, dedicando um dia pra cada pequeno detalhe? Otimização prematura.

Afinal, ninguém sabe se a maioria dos usuários usarão essa nova funcionalidade ou se terão algum outro problema que você não previu.

Não seria melhor usar uma ferramenta para gravar como os usuários a utilizam, ou usar um Mixpanel da vida para obter métricas sobre o uso e só depois de analisar os resultados você decidir como deve otimizar a funcionalidade?

No marketing

O exemplo de marketing que trago precisará de um contexto: imagine uma startup que tem apenas 1-2 pessoas no Marketing.

Por ser um novo projeto, ninguém sabe ainda quais canais serão os que darão maior retorno de investimento para o pouco dinheiro/tempo que a equipe de marketing tem.

Um exemplo de otimização prematura seria, por exemplo, passar 3 semanas criando e otimizando uma campanha de anúncios do Facebook. Por que gastar tanto tempo num canal que você nem sabe se trará algum retorno positivo?

Nesse mesmo tempo, a mesma equipe poderia testar 3 canais de uma forma bem rasa, analisar as métricas e aí decidir qual canal tem maior potencial. E é neste canal que o esforço deveria ser aplicado.

O Princípio de Pareto

Você já deve ter ouvido sobre esse princípio, ele basicamente diz que aproximadamente 80% dos efeitos vêm de 20% das causas. Ou seja:

  • 80% das suas vendas vem de 20% dos seus clientes
  • 80% das melhorias de UX vem de apenas 20% das mudanças feitas
  • 80% da melhora na performance do app vem de apenas 20% das mudanças feitas

Que tal então tentar sempre trabalhar nesses 20% que vão trazer 80% dos resultados? Assim você economiza esses outros 80% do seu tempo!

Na realidade acabaria sendo menos do que isso porque você gasta um tempo priorizando, mas ainda assim seria uma grande economia.

Uma empresa que não comete esse erro?

A Apple. Lembra quando o primeiro iPhone foi lançado? Ele tinha vários problemas, tinha pouquíssimos apps disponíveis e o touch nem funcionava muito bem.

Um exemplo mais recente? O Airpod! A primeira versão dele tinha problema de conexão bluetooth e uma bateria que durava pouquíssimo tempo!

A Apple sabe que o importante é lançar logo o produto, colher feedback de usos reais, aprender como as pessoas utilizam seus produtos, para só então otimiza-los.

Use melhor o seu tempo

Nosso tempo é importante, ele é finito. O tempo que você dedica ao seu projeto pessoal são apenas algumas horas por semana. O tempo que você tem para trabalhar na empresa do seu patrão também é restrito.

É só você olhar o backlog de coisas a serem feitas em qualquer projeto ou na sua vida pessoal que você perceberá que nunca temos tempo suficiente para fazer tudo.

Essa é a maior prova de que você deve sim tentar evitar a otimização prematura. Você deve usar o seu tempo da forma mais eficiente possível, trabalhando nas coisas certas, nos momentos certos.

Quem sabe assim você não consegue inclusive trabalhar menos tempo e possa jogar mais videogame ou passar mais tempo com sua família? 😉

4 Comentários

Responder Cayo Medeiros Cancelar a resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *